expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Live Webcam SPOTAZORES

Live Webcam SPOTAZORES
Santa Cruz da Graciosa

terça-feira, fevereiro 07, 2012

Graciosa - virar ao futuro!

A constante saída de jovens da ilha Graciosa tem vindo, ao longo dos anos, a provocar a desertificação da ilha que vê, assim, o seu futuro tornar-se menos animador.
Se é certo que sem pessoas não podemos ambicionar um melhor futuro, é também certo que só se podem cativar os nossos jovens a permanecer na ilha, ou a ela voltar, se estes tiverem condições para empreender e trabalhar.
São sobejamente conhecidas as características da ilha Graciosa para produzir com qualidade. Características essas que, num contexto em que é cada vez mais urgente aproveitar aquilo que de melhor se tem, podem potenciar a criação de riqueza e de emprego.
O futuro, para ser o encontro entre o que os graciosenses desejam e o que a ilha tem para oferecer, deve ser marcado por quebrar as barreiras do isolamento, favorecendo a mobilidade e criando condições para que os produtos da Graciosa forneçam um mercado mais vasto, a preços competitivos.
Por vezes, as palavras assumem significados que não passam de intenções e de promessas de concretizações. Os graciosenses estão habituados a isso e a que se renovem compromissos a cada quatro anos.
Assistimos a esses momentos com a esperança de que algo verdadeiramente mude, mas, Infelizmente, voltamos sempre ao ponto de partida.
Mobilidade e transportes são sempre o tema presente para fazer voltar a esperança à Graciosa. Uma esperança que não se desvanece, mas que igualmente não vê concretizados os seus pressupostos.
Muito se tem falado na criação de um verdadeiro mercado interno. Para os Graciosenses não é uma ideia nova, pois sempre se têm batido por ela.
Aqueles que querem fazer crer que esta motivação assumida pela Dr.ª Berta Cabral teve outra origem que não o consolidar do projecto político que o PSD quer ver implementado nos Açores, são os mesmos que andaram durante muitos anos a ignorar que o desenvolvimento desta ilha passa pela concretização desta ideia.
Não é sério dizer, depois de tantos anos a exercer o poder, que agora é que se vão resolver os problemas da mobilidade e dos transportes em relação à ilha Graciosa. E não é sério, porque essa sempre foi a maior e mais veemente reivindicação dos Graciosenses.
A ilha Graciosa sente como poucos a forma como o isolamento retira hipóteses de desenvolvimento e provoca a desertificação da ilha. Torna mais caro o custo de vida, aumenta o custo dos factores de produção, estrangula o empreendedorismo e limita as potencialidades da ilha.
Transformar os Açores numa região económica, com um mercado interno que valoriza as produções locais pode significar a diferença e o salto qualitativo de que a ilha precisa.

1 comentário:

Anónimo disse...

"Ana Paula Marques dá o exemplo da baixa taxa de desemprego na Alemanha: “a Alemanha tem 5,5% de desempregados porque o norte da Europa apostou muito na qualificação profissional”. No entender da secretária, “é esse o resultado exacto daquilo que nós estamos a fazer nos Açores, que é qualificar os que estão com menos qualificação profissional, para lhes dar competência para poderem entrar no mercado de trabalho”. http://www.tribunadasilhas.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=2743:cursos-formar-para-integrar-no-faial-ana-paula-marques-considera-o-projecto-inovador&catid=1:local&Itemid=2

Para completar a história do sucesso alemão: http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/4058739.html

Para quando minijobs nos Açores ? Ou era a isto ou algo parecido que Passos Coelho chamava o tributo solidário ?